Vasco da Gama

O clube de regatas Vasco da Gama, como outros contemporâneos ao seu surgimento, foi fundado em função da prática esportiva do remo, muito em voga no final do século XIX, mas o seu estabelecimento se deu mesmo foi com o futebol, já no século XX. Atualmente, o impacto do Vasco na cultura carioca é tão grande que, em 2007, foi criado o “dia do Vasco”, como uma homenagem ao clube.

Fundado em 1898, na cidade do Rio de Janeiro, o clube ganhou o seu nome em homenagem ao navegador português Vasco da Gama. As cores escolhidas para simbolizar o clube foram o preto, o branco e o vermelho, estilizados na cruz de malta, símbolo do time. Foi apenas em 1916 que o Vasco passou a integrar o futebol carioca: estreou com o time na terceira divisão do campeonato carioca e, já em 1923, figurava na divisão principal.

O estádio vascaíno é o famoso “São Januário” que, fundado em 21 de abril de 1927, tem capacidade atual de abrigar 15.150 torcedores.

Títulos

Os títulos do Vasco são muitos e fazem jus à sua história de grande clube brasileiro:

1922

– Campeão Carioca da 1ª Divisão – Série B (LMTD)

1923

– Campeão Carioca (LMDT)

1924

– Bicampeão Carioca (LMDT / Campeão Invicto de Terra e Mar)

1926

– Campeão do Torneio Início

1929

– Campeão Carioca (AMEA)

– Campeão do Torneio Início

1930

– Bicampeão do Torneio Início

1931

– Tricampeão do Torneio Início

1932

– Tetracampeão do Torneio Início

Período do Profissionalismo

1934

– Campeão Carioca (LCF)

1936

– Campeão Carioca (FMD)

1940

– Campeão do Torneio Dr. Luiz Aranha (Rio de Janeiro)

1942

– Campeão do Torneio Início (FMF)

1944

– Campeão do Torneio Início

– Campeão Invicto do Torneio Relâmpago

– Campeão do Torneio Municipal

1945

– Campeão Carioca (FMF – Campeão Invicto de Terra e Mar)

– Bicampeão do Torneio Início

– Bicampeão Invicto do Torneio Municipal

1946

– Campeão do Torneio Relâmpago

– Tricampeão do Torneio Municipal

1947

– Campeão Carioca (FMF – Campeão Invicto de Terra e Mar)

– Tetracampeão do Torneio Municipal

1948

– Campeão Sul-Americano de Campeões (Invicto – Primeiro Campeão da América no ano do Cinquentenário do Clube – Reconhecido pela CONMEBOL)

– Campeão do Torneio Início

1949

– Campeão Carioca (FMF – Campeão Invicto de Terra e Mar)

1950

– Bicampeão Carioca (FMF – Bicampeão de Terra e Mar)

1952

– Campeão Carioca (FMF – Campeão de Terra e Mar)

1953

– Campeão do Quadrangular Internacional do Rio

– Campeão do Torneio Octogonal Rivadávia Corrêa Meyer

– Campeão do Torneio Internacional do Chile (Santiago, Chile)

1956

– Campeão Carioca (FMF – Campeão de Terra e Mar)

1957

– Campeão do Torneio Santiago (Santiago, Chile)

– Campeão do Torneio Quadrangular de Lima (Lima, Peru)

– Primeiro Campeão do Torneio de Paris (Paris, França)

– Campeão do Troféu Teresa Herrera (La Coruña, Espanha)

1958

– Supersuper Campeão Carioca (FMF – Campeão de Terra e Mar)

– Campeão do Torneio Rio-São Paulo

– Campeão do Torneio Início

1963

– Campeão do Torneio Santiago (Santiago, Chile – Invicto)

– Campeão do Torneio Pentagonal do México (Cidade do México, México)

1965

– Primeiro Campeão da Taça Guanabara (FCF)

– Campeão do Torneio Cinquentenário da Federação Pernambucana (Pernambuco)

– Campeão do Torneio IV Centenário da Cidade do Rio de Janeiro

1966

– Campeão do Torneio Rio-São Paulo

1970

– Campeão Carioca (FCF – Campeão de Terra e Mar)

1972

– Campeão da Taça José de Albuquerque (Terceiro Turno do Campeonato Carioca)

1973

– Campeão do Troféu Pedro Novaes (Terceiro Turno, grupo A do Campeonato Carioca – Invicto)

– Campeão do Torneio Erasmo Martins Pedro (Rio de Janeiro)

1974

– Campeão Brasileiro

– Campeão da Taça Oscar Wright da Silva (Segundo Turno do Campeonato Carioca – Invicto)

1975

– Campeão da Taça Danilo Leal Carneiro (Terceiro Turno do Campeonato Carioca)

1976

– Campeão da Taça Guanabara

1977

– Campeão Carioca (FCF)

– Bicampeão da Taça Guanabara

– Campeão do Torneio Imprensa de Santa Catarina

– Campeão da Taça Manoel do Nascimento Vargas Netto (Segundo Turno do Campeonato Carioca – Invicto)

1979

– Campeão do Troféu Cidade de Sevilha (Sevilha, Espanha)

– Campeão do Troféu Cidade de Elche (Elche, Espanha)

1980

– Campeão do Torneio José Fernandes (Amazonas)

– Campeão do Troféu Colombino (Huelva, Espanha)

– Campeão da Taça Gustavo de Carvalho (FFERJ – 2º Turno do Campeonato Estadual)

1981

– Campeão do Torneio João Havelange (Minas Gerais)

– Campeão do Torneio Ilha de Funchal (Funchal, Portugal)

– Campeão da Taça Ney Cidade Palmeiro (Segundo Turno do Campeonato Estadual – Invicto)

1982

– Campeão Estadual (FFERJ – Campeão de Terra e Mar)

– Campeão do Torneio João Castelo (Maranhão)

– Campeão do Torneio de Verão (Montevidéu, Uruguai)

1984

– Campeão da Taça Rio

1986

– Campeão da Taça Guanabara

– Campeão da Taça Cidade de Juiz de Fora (Minas Gerais)

1987

– Campeão Estadual (FFERJ)

– Bicampeão da Taça Guanabara

– Bicampeão da Taça Cidade de Juiz de Fora (Minas Gerais)

– Campeão da Copa de Ouro (Los Angeles, Estados Unidos)

– Campeão da Copa TAP (Newark, Estados Unidos)

– Campeão do Torneio Ramón de Carranza (Cádiz, Espanha)

1988

– Bicampeão Estadual (FFERJ)

– Campeão da Taça Rio

– Campeão da Taça Brigadeiro Jerônimo Bastos (Terceiro Turno do Estadual – Invicto)

– Bicampeão do Torneio Ramón de Carranza (Cádiz, Espanha)

1989

– Bicampeão Brasileiro

– Campeão do Torneio de Metz (Metz, França)

– Tricampeão do Torneio Ramón de Carranza (Cádiz, Espanha)

1990

– Campeão da Taça Guanabara (Invicto)

– Campeão da Taça Adolpho Bloch (Rio de Janeiro)

1991

– Campeão do Torneio da Amizade (Libreville, Gabão)

1992

– Campeão Estadual (FFERJ – Invicto)

– Campeão da Taça Guanabara

– Campeão da Taça Rio

– Campeão da Copa Rio de Janeiro (Invicto)

1993

– Bicampeão Estadual (FFERJ)

– Bicampeão da Taça Rio

– Bicampeão da Copa Rio de Janeiro

– Campeão do Torneio João Havelange (RJ-SP)

– Campeão do Troféu Cidade de Barcelona (Barcelona, Espanha)

– Campeão do Troféu Cidade de Zaragoza (Zaragoza, Espanha)

1994

– Tricampeão Estadual (FFERJ)

– Campeão da Taça Guanabara (Invicto)

1995

– Campeão do Torneio Palma de Mallorca (Mallorca, Espanha)

1997

– Tricampeão Brasileiro

– Campeão do Troféu Bortolotti (Bérgamo, Itália)

– 3º Turno do Estadual (FFERJ)

1998

– Campeão da Taça Libertadores da América (Bicampeão da América no ano do Centenário do Clube)

– Campeão Estadual (FFERJ – Campeão de Terra e Mar no ano do centenário do clube)

– Campeão da Taça Guanabara

– Campeão da Taça Rio

1999

– Campeão do Torneio Rio-São Paulo

– Campeão da Taça Rio (Invicto)

2000

– Campeão da Copa Mercosul (Título de nível Sul-Americano)

– Tetracampeão Brasileiro

– Campeão da Taça Guanabara (Invicto)

2001

– Campeão da Taça Rio (Invicto)

2003

– Campeão da Taça Guanabara

– Campeão da Taça Rio (Invicto)

– Campeão Estadual (FFERJ)

2004

– Campeão da Taça Rio

2009

– Campeão Brasileiro da Série B

2010

– Campeão da Copa da Hora

2011

– Campeão da Copa do Brasil

2015

– Campeão Estadual (FFERJ – Campeão no ano do Centenário do Futebol no Clube)

2016

– Taça Guanabara (FFERJ)

– Campeonato Carioca (FFERJ)

2017

– Taça Rio (FFERJ)

Principais Ídolos

Bebeto

Após entrar em litígio com o rival rubro-negro, o técnico e veloz atacante foi contratado pelo Vasco, diante de grande investimento do cruzmaltino. Em 1989, José Roberto Gama de Oliveira mostrou ao que veio. Sagrou-se campeão brasileiro daquele ano e foi peça fundamental naquele feito. De quebra, ainda conquistou também o Troféu Ramón de Carranza. Além dessas vitórias, o jogador ainda foi considerado o melhor da América do Sul naquela temporada. No ano seguinte era figura certa na convocação da Copa do Mundo, porém, uma grave lesão tirou o atleta da competição. Depois de passar um tempo se adaptando aos gramados, após o período inativo, o jogador ofensivo brilhou no ano de 1992. Foi um dos ícones do time que disputou o campeonato carioca e brasileiro da temporada. Prova disso é que Bebeto foi o artilheiro do torneio nacional, com 18 gols, e levantou o caneco da competição regional.

Bellini

De estatura elevada, o zagueiro era marcante em campo pela sua virilidade, seriedade, competência e disciplina em campo. Seus traços de bravura deram origem a uma estátua, que hoje está presente em uma das entradas do Maracanã. Um dos ícones da história da seleção brasileira, Hideraldo Luiz Bellini foi o capitão da seleção de 58.

Edmundo

O atacante fez questão de transparecer seu sentimento vascaíno em todos os seus momentos como jogador de futebol. Sem dúvidas, está entre os seletos ídolos da história do Vasco. Mesmo quando não estava atuando pelo clube da Colina, Edmundo Alves de Souza Neto deixava claro o seu amor pelo time, evidenciando que fazia parte da massa de torcedores cruzmaltinos.

Mauro Galvão

Chegou ao Vasco já aos 35 anos, mas com ótimo vigor físico, classe e espírito de liderança. O zagueiro e capitão da equipe foi contratado em 1997 e permaneceu no Clube até 2000. Durante esse tempo o lendário defensor levantou canecos com o da Libertadores, em 1998, no Ano do Centenário, do Campeonato Estadual do mesmo ano (onde o zagueiro fez o gol do título nos minutos finais da partida) e do Torneio Rio-SP de 1999.

Romário

Revelado nas categorias de base do Vasco, o atacante surgiu no time profissional em 1985 O Baixinho teve quatro passagens pelo time de São Januário. Além dos títulos que conquistou vestindo a camisa cruzmaltina, a história de Romário de Souza Faria ainda tem um ponto especial: o gol mil foi marcado em São Januário no dia 20 de maio de 2007, contra o Sport.

 

Acima/Abaixo GOLS

Acima/Abaixo GOLS >>

Acima/Abaixo GOLS
Sport Club Internacional

Sport Club Internacional >>

Sport Club Internacional
Corinthians

Corinthians >>

Corinthians
São Paulo Futebol Clube

São Paulo Futebol Clube >>

São Paulo Futebol Clube
Santos Futebol Clube

Santos Futebol Clube >>

Santos Futebol Clube